• Canto aos homens de boa vontade

GÊNERO: Poesia 
FORMATO: 14X21 | ANO: 2018
PÁGINAS:  108 | Pólen Bold 90gr


SINOPSE:

            As emoções trabalhadas por Narlan são harmonicamente postas em paralelo as demais coisas desenvoltas da vida, a saudade do pai, a ambiguidade da existência, a beleza estética da natureza, assim como a suavidade e ao mesmo tempo, intensa, dos sentimentos de vida e de destruição, de sombras e sol.

            Embora, o poeta entenda que a vida é esta linha descontínua, na qual os altos e os baixos, são em verdade, as oscilações entre prazer e sofrimento, entre luz e escuridão, a fé é encontrada como firmeza e o sustentáculo para suportar as dicotomias da vida, a fé no homem, como quando o autor diz, “eu creio nos homens / quando desafiam as escuridões as incertezas”.

            Esta maneira de enxergar as irregularidades de acontecimentos, de sensações percepções são feito herança, humilde, pois é coisa passada por gerações e gerações, através dos ensinamentos e modos de vida de um povo modesto, campesinato, “nasci de uma gente mui simples e solar / que lavrava a alegria em seus incertos sulcos / aprendi com eles a crer na chuva e nos rios/”.

            A natureza personifica a própria insegurança do homem, como já dito entre pensadores e psicanalistas como Freud, no entanto, também ela é a fonte fornecedora dos ensinamentos, e Narlan sabe disto, e afirma, e aproveita, e exalta estes ensinamentos, assim como o incoercível poder da natureza, “ o sol que explique tudo isso que nos assalta / enquanto atravessamos as planícies da vida / tudo isso que nos indaga enquanto em nós / marcham os exércitos das sombras”




Escreva um comentário

Você deve acessar ou cadastrar-se para comentar.

Canto aos homens de boa vontade

  • Autor: Narlan Matos
  • Modelo: P338
  • Disponibilidade: Esgotado
  • R$36,00

Etiquetas: Editora