• Aquela Moça

GÊNERO:  Contos    

FORMATO:     14X21   | ANO: 2018                  

PÁGINAS: 126    | Pólen Bold 90 gr




SINOPSE:

Os contos de Francine têm sabor de infância. Nas memórias da escritora, as tardes longínquas de um tempo que continha a inocência das primeiras impressões, a efervescência da novidade e a capacidade que os “pequeninos” possuem de sentirem intensamente as primeiras emoções. Em “Rela e Requenguega” a autora mostra uma criança experimentando a fraternidade universal com os animais, exaltando o surgimento natural da compaixão nesta tenra idade. Outros contos, como “Blem Blem Bleam” mostram o relacionamento de crianças umas com as outras, desenvolvidos com acanhamento e timidez no cerne dos primeiros passos para o convívio social. Temas mais maduros, no entanto, são desenvolvidos com uma lírica sutil, dilemas adultos de tentar segurar, manipular, o tempo-espaço, quando na verdade é óbvio é também frustrante reconhecer que o homem é moldado e construído pelo passado, presente e futuro. Os contos estão lá, escritor no papel, as memórias, as utopias, os dilemas e reflexões são produzidos com a habilidade mestra de saber a dose certo de lirismo. “Aquela Moça” deixa um gosto tênue de esperança, pois além de dissertar sobre as várias batalhas humanas, a perda da infância, que traz novos dilemas, ao final de tudo, diz que o homem é um eterno desabrochar. Deixar as certezas no passado, e renascer para o novo requer tremenda garra, pois “Desabrochar era muito exaustivo”.





Escreva um comentário

Você deve acessar ou cadastrar-se para comentar.

Aquela Moça

  • R$37,00


Etiquetas: Lampejos