• Palafitas

GÊNERO:  Poesia                         

FORMATO: 14X21   | ANO: 2016               

PÁGINAS: 84  | Pólen Bold 90 gr


SINOPSE:

            Luiza Cantanhêde demonstra já na abertura de sua obra que veio para viver entre os vassalos, para retirar poesia não do lirismo e da segregação, mas para inundar-se no vasto campo dos amantes, dos noturnos, dos libertinos. A poeta denomina-se como apreciadora da poesia do povo, aquela se esconde entre as turbulências e conflitos de uma vasta multidão que se esparrama pela indomável noite, em “não sei versar para a realeza, / gosto mesmo é de rimar com os vassalos. / Sentar-me com palavras / que se arrastam pelo chão; que caminham de pés descalços, que / residem nos guetos...” A poesia de Luiza aproxima-se da prosa, com orações subordinadas, mas que não dispensam a força das metáforas ou da personificação. A poeta joga com fortes palavras, como “lixo” e “lama” para intensificar sua declaração de que é uma poeta do não dito, do não embelezado, mas que contraditoriamente, a própria poesia reside no confronto dos sentimentos ambíguos, daquilo que não é consciente, como a solidão, que embora não traga consigo o encantamento da lírica, carrega em si a poesia da lamentação e do questionamento, “ Esta poeta que sobrevive / em mim, anda por sobre / brasas com a ilusão de que / as cinzas da solidão não / queimam”. O leitor irá se identificar com os enigmas referentes aos sentimentos humanos, que às vezes são urgentes e confusos como a ebriedade do álcool, mas que mesmo assim, acolhem e sustentam os sentimentos mais profundos e por isto mesmo poéticos.

 


Escreva um comentário

Você deve acessar ou cadastrar-se para comentar.

Palafitas

  • R$32,00
  • R$16,00

Produtos relacionados

Amanhã, serei uma flor insana

Amanhã, serei uma flor insana

GÊNERO:  Poesia  FORMATO: 14X21 | ANO: 2018      P..

R$34,00

Etiquetas: Candeeiro