• A Exposição dos Sóis

GÊNERO:  Poesia               

FORMATO: 14X21 | ANO: 2017                 

PÁGINAS: 122 | Pólen Soft 90 gr



SINOPSE:

Julia Lemos traz a alegoria do sol para a sua poesia, este ente que atiça o olhar e que destaca o cenário sob seu domínio, ainda que, por seus raios alongados coloque em evidência as faces do desamor, das tristezas. A autora singulariza os seus versos com a imagem das flores, em “Tulipas” as cenas construídas de flores que se envergam diante da aflição, enlaçam-se com a metáfora do que é a vida, que mesmo entre as belezas e as alegrias traz também os momentos difíceis. Em “Pétala” a autora desmonta o processo do nascimento das flores, direcionando a sua origem ao substrato das pedras, reforçando assim, sua interpretação de que viver é esbarrar em obstáculos, mas que por debaixo destes impasses reside a sensibilidade das flores. Um outro “Sol” da obra é a abstração do amor, que enfrenta desafios, algumas vezes desfalece-se com o tempo, mas que reside nas memórias. Em “Balada” a autora cita o amor que um dia existiu nas lembranças de cada um, e que precisam apenas de pequenos estímulos para o relembrar da sua imensidão, temática também explorada nos versos de “Yesterday”, música da banda Beatles; nesta poesia a melodia atiça as memórias da poeta, que lembra dos seus amores inspirados pelo tom dramático da canção. Nesta “exposição dos sóis” as estrelas irradiantes de luz são tanto o amor, as memórias, as aflições, a contemplação, e mais; o Sol ardente das terras do Recife, se mostram em “A Várzea”, quando a poeta por fim responsabiliza o astro por ser o grande observador dos delitos humanos, “o Sol só se punha ao finalzinho da tarde / hora em que quase todo mundo / já havia cometido pelo menos / um pequeno delito”.      





Escreva um comentário

Você deve acessar ou cadastrar-se para comentar.

A Exposição dos Sóis

  • Autor: Julia Lemos
  • Modelo: P038
  • Disponibilidade: Em estoque
  • R$34,00

Etiquetas: Lampejos